terça-feira, 26 de agosto de 2014

Faleceu o nosso companheiro da C.CAÇ. 3309, Agostinho Monteiro Ribeiro

O Ribeiro (em baixo de camisa branca) na companhia do Meira (ao seu lado) do Amável e Sousa em cima. Foto tirada no aquartelamento de Nangade. Moçambique 1971. Esta foto está incluída no livro "Do Tejo ao Rovuma", página 113. Editora Euedito. Carlos Vardasca 2012.
(Clicar na foto para a ampliar)


Caros Cocuanas;
É com muita tristeza, dor na alma e pesar, que participo o falecimento do nosso camarada Agostinho Monteiro Ribeiro, soldado cozinheiro. O seu falecimento ocorreu no dia 16 de Julho. Tinha sido operado a um carcinoma cerebral que o deixou emocionalmente combalido, mas paulatinamente foi recuperando. Dias antes do falecimento, levantou-se de noite silenciosamente para não acordar ninguém e sem acender as luzes, caiu e partiu duas costelas. Gritou e imediatamente foi transportado para o hospital, onde contraiu uma pneumonia. Dado o seu estado de debilidade e as suas defesas reduzidas, sucumbiu rapidamente. Fumador inveterado, não foi essa a causa do óbito. Mesmo assim o “RIBEIRO” era um rapaz excepcional. Cozinheiro limpo. Encontrei-o muitas vezes na praia das Caxinas e nos primeiros anos fizemos umas sardinhadas. Nunca veio a qualquer encontro militar, mas isso já são outras histórias. Era padeiro e dono da mesma: a padaria SOUSA, no lugar do Salto em Amarante. Deixa mulher e dois filhos (rapaz e rapariga, 34 e 35 anos) continuador na profissão. O contacto com ele era demasiadamente difícil, quer por telefone quer pessoalmente. Vários camaradas tentaram (eu, inclusive), mas niguém conseguiu. Nesta última e derradeira tentativa para obter mais esclarecimentos, a esposa, desfez-se em lágrimas e simpatia. Mudou? Pena ser tarde.


Para o camarada e Cocuana RIBEIRO, a nossa sentida homenagem e o nosso abraço solidário. Onde quer que estejas, paz à sua alma. Com certeza que será mais lembrado agora. Nos encontros recordamos sempre os camaradas que já partiram, embora continuando presentes no nosso coração
  
Texto enviado por:
João da Silva Arteiro

8 comentários:

Anónimo disse...

O meu Pai partiu sem pedir" licença ", porque era a sua hora!

O meu pai partiu com a sua " pequena " no coração!

O meu pai viajou e espera o dia para me abraçar depois de uma viagem que ninguém poderá fazer por mim, nem por cada um de nós.

Certo dia, o meu falou-me do meu riso e do meu sorriso, a partir desse dia,
nunca mais chorei!!!

A sua filha, Sandra Carla Teixeira Ribeiro Cardoso. Um abraço PAI.

Anónimo disse...

conheço-te bem Sandra.
És assim mesmo, a filha que muitos gostariam de ter.
Só hoje descobri este blog e, por ser tardia esta minha mensagem, peço-te que mesmo assim a aceites.
Sabes quem sou.
AC

Sandra Cardoso disse...

Olá Pai, continuo com imensa saudade.


Longe vão os dias que te acompanhava
Longe vão as horas que por ti chamava
Longe vão as marcas dos teus passos
Longe vão os afagos dos teus abraços

Longe, pai, tão longe!!!! Que dor que eu sinto!!!

PAI, Amanhã falamos.


Tudo tão longe e tenho-te tão perto.

Sandra Cardoso disse...

Olá Pai,

ontem apetecia me desistir dos meus projetos sentia.me só e , de repente, num espaço que nada me trazia de vós.

Cansada dava continuidade a mais um papel para o qual nada me dizia.Contente pela nossa pequena ser finalista, mas faltavas tu e a mãe. Senti-me tão só pai!!!

No entanto sei que me proteges e estás aborrecido com tanta malvadez. Tu ensinaste.me o tempo mostra o caráter, e assim foi. continua a olhar por nós AMO_TE PAI.

Sandra Cardoso disse...

Olá Pai,


Hoje é um dia especial para mim. Consegui percorrer parte do meu caminho com sucesso. Ensinaste-me a ser humilde e cumpridora. Assim sou .

A tua pequena mais pequena relembra -te com tanto Amor. Continua a olhar por nós.


Um abraço pai, daqueles que tu sentes e eu também.


Sandra.

Sandra Cardoso disse...

Olá Pai,

Há dias as tuas pequenas celebraram mais um aniversário!
A Maria Leonor fez 20 anos, a Anamar,6. Vai para a escolinha. Tal como tu me ensinaste a perceber as contas difíceis, vou fazer o mesmo é a minha última herança.O tempo voa, Pai,
A mãe celebrou 81 anos.
Tenho lido o livro de memórias: " Do Tejo ao Rovuma" e nele viajo até ti.
Foi tão bom todo o caminho que percorremos juntos, mesmo aquele de corredores sem fim, relembro com muita saudade!

Pai, boa noite!!!!

Sandra Cardoso disse...

Olá Pai, hoje é o dia do teu aniversário.

Sinto tanta saudade, PAI.

Partiste!!!Lembra te de nós!!!A pequena está na 1ª classe como te havia dito, o primeiro dia não foi fácil, mas agora anda toda feliz.


Gosto muito de ti,PAI.Até amanhã.
Na verdade, longe vai o tempo de família!!!

Anónimo disse...

Olá pai,a anamar cresce e é uma menina muito doce.sábia nas suas , dita me pensamentos de ordem para avançar.dia após dia aperfeiçoa a sua letra e quer descobrir o que a rodeia.fala me do norte com muita saudade,mas por enquanto ainda tenho de me render ao sul.tenho falado com a mãe,parece me bem e também com saudades da pequena.pai,cada dia que passa aumenta a minha saudade.beijinho pai.