quarta-feira, 2 de maio de 2007

Uma conversa entre nós

Para além dos diversos debates havidos sobre o tema da Guerra Colonial, seria interessante que, entre nós, ex-combatentes do Batalhão de Caçadores 3834, em particular os pertencentes à C.CAÇ. 3309 assim como à generalidade de todos quantos partiram para Moçambique "numa viagem de ida mas de regresso incerto" (independentemente da Companhia a que pertenceram) podessemos, com a distância dos anos volvidos após o nosso regresso de África, conversar um pouco sobre o que sentimos quando fomos mobilizados, a visão que tinhamos durante a nossa permanência naquele conflito de má memória, e o que pensamos hoje daquilo que foi a Guerra Colonial.
Aguardo com alguma ansiedade as vossas opiniões, que decerto irão contribuir para uma reflexão informal e mais pessoal da nossa envolvência no conflito para onde nos enviaram "sem jeito nem prosa"...


Nota: Na foto vê-se o aquartelamento de Tartibo, onde a C.CAÇ. 3309 passou um dos piores momentos da sua permanência naquele isolamento no norte de Moçambique. Ao fundo ainda se vê o rio Rovuma e as montanhas da Tanzânia




Carlos Vardasca

02 de Maio de 2007

7 comentários:

k7pirata disse...

Parabéns pelo blog.

AV disse...

Bem-vindo às bloguices.

ALENTEJANO EM TIMOR disse...

Gostei do blog!
Vá postando mais relatos e fotos, pois é assunto de muito interesse e curiosidade.

VICRISTO disse...

Para quando o livro anunciado?
Venha ele.
Vítor Baião
ex-Asp. Of. Mil. da CCaç de M. da Praia
1967/68

Norberto M M Leite disse...

Após o exposto, também estou curioso e expectativo com a publicação do livro. Espero estar presente no seu lançamento e, até lá contribuir para uma melhor recordação.

Anónimo disse...

AMIGO CARLOS:
Como estás tu bem espero que sim , faz hoje precisamente 38 anos que embarcamos para aquela terra distante , que se dava pelo nome de MOÇAMBIQUE .
Tinhamos cerca de 12 horas de PORÃO,
quase todos nesta hora já tudo vomitava , mas tudo se passou e lá fomos para ao largo da MADEIRA , deixarmos um colega que tinha caído pelas escadas abaixo e teve de ser evacuado para o HOSPITAL DO FUNCHAL, naõ sei se te recordas disso, mas eu recordo-me porque vi o camarada a cair, nao encostamos no CAIS porque veio uma lancha busca-lo ao largo.
PASSADOS uns dias o TARZAN ao MAR, porque quando chegamos a LUANDA o TARZAN foi para os calhabouços , encontrei logo há saída do NIASSA, um amigo da minha terra que era policia militar,que estava com 20 meses de comissão, o que me fez uma inveja de gritar .
LÁ retomamos de novo até LOURENÇO MARQUES , passada 1 hora mais ou menos lá nos levaram para o aeroporto para irmos de BOEING até NAMPULA , depois NORD ATLAS até á Capital da guerra, de seguida apanhamos um avião DACOTA, e aterramos em NEGOMANO, não queiras saber fomos recebidos há RAJADA , atiramos-nos para o capim que era mais alto do que eu, estivemos ali mais de 1hora deitados no chão teve de vir um OFICIAL da companhia que iamos render que era uma brincadeira para nos receber .
( CAPITAL DA GUERRA QUE ERA MUEDA)
Um abraço

PINHO SOUSA disse...

AMIGO CARLOS :
O artigo divulgado hoje ás 0.27 horas foi escrito por mim ANTÓNIO FILIPE PINHO SOUSA